segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Vela, Cabos e Bobina – Falhas

Troque as velas periodicamente ou pague a conta do alto consumo e danos na bobina e nos cabos!

Maior do que a despesa da troca periódica de um jogo de velas, é a despesa contínua por seu mau funcionamento, seja devido ao alto consumo de combustível, danos em componentes do sistema de ignição, e ainda um possível grave defeito eletro eletrônico que vai arrombar seu orçamento.

Vou explicar:

A alta voltagem da *centelha de ignição é fundamental para a combustão da mistura, mas caso essa mesma centelha não percorra seu caminho ideal, vários defeitos graves podem ocorrer. A centelha busca um aterramento qualquer no veiculo como destino, e a ideia é que esse destino seja o eletrodo da vela, que está em contato direto com a mistura ar/combustível, mas como tudo sofre um desgaste, e esse eletrodo tem uma vida calculada pelo fabricante. Cabe ao proprietário promover a troca do componente conforme a recomendação no manual do veículo. Quando esse eletrodo se desgasta, a chama inicial gerada pela centelha sofre uma perda de qualidade e sua ineficiência causa um resultado negativo na combustão interna ao cilindro, e ai é que ocorre a perda no aproveitamento do combustível admitido pelo cilindro e consequentemente o resultado é um motor mais fraco. Essa fraqueza não é percebida de imediato na maioria dos casos, e o condutor acaba acelerando mais para ter a mesma potência e esse ciclo vicioso só pode ser percebido quando a despesa com combustível sobe muito ou quando o carro começa a apresentar alguma falha.

Entenda que trocar as velas uma vez ao ano é algo barato e dá muito certo, tanto para a durabilidade de outros componentes, como principalmente, pode economizar muito

combustível.

Um jogo de velas custa em média R$ 100,00, mas o desperdício de combustível anual pode chegar aos milhares de reais. Uma vela defeituosa ainda pode promover danos prematuros nos cabos de velas, bobina de ignição e causar graves interferências entre outros defeitos que podem atingir componentes eletrônicos microcontrolados como módulos de comando de sistemas de injeção de combustível, câmbios robotizados ou automáticos, freios ABS entre outros, chegando inclusive a promover a queima dessas unidades de comando caríssimas.

Veja no Vídeo Abaixo: 
video

Nenhum comentário:

Postar um comentário